sábado, 08 de maio de 2021
Saúde

Variante do vírus chinês afeta mais pessoas vacinadas do que não vacinadas, diz estudo

14 abril 2021 - 10h14Por Brehnno Galgane - Canal Terça Livre

Um estudo da Universidade de Tel Aviv divulgado no último sábado (10) descobriu que uma variante sul-africana do vírus chinês afeta mais pessoas vacinadas com a vacina Pfizer do que pessoas não vacinadas. Clalit Health Services, uma importante entidade de saúde israelense, também ajudou na conclusão do estudo.

“Encontramos uma taxa desproporcionalmente maior da variante sul-africana entre as pessoas vacinadas com uma segunda dose, em comparação com o grupo não vacinado”, disse Adi Stern, da Universidade de Tel Aviv.

O estudo analisou 400 pessoas que receberam pelo menos uma injeção da vacina Pfizer/BioNTech e contraíram a variante Covid-19, e os comparou ao mesmo número de pessoas infectadas e não vacinadas. Segundo os dados encontrados, a variante do vírus foi encontrada oito vezes mais em indivíduos que já foram vacinados.

Stern chegou a reconhecer que as descobertas do estudo foram uma surpresa. “Com base nos padrões da população em geral, esperaríamos apenas um caso da variante sul-africana, mas vimos oito”, disse Stern. “Obviamente, esse resultado não me deixou feliz.