sábado, 08 de maio de 2021
VENEZUELA

último minuto extra Exército Libertador

Exército Libertador

22 dezembro 2019 - 13h39Por jose luis alejo monasterios

      No início da manhã de domingo, 22 reservistas militares e indígenas se levantam, no município de Gran Sabana, Santa Elena de Uairen, Venezuela, a 15 minutos da fronteira com a fronteira do norte do Brasil, o governo afirma tê-los sob controle. Outro grupo está em Fuga

     Os militares do batalhão 513 Mariano Montilla, apoiados por 30 reservistas indígenas do Exército, levantaram-se no início deste domingo, 22 de dezembro e, neste momento, estão a caminho da fronteira da Venezuela com o Brasil.

     Os oficiais levaram o comandante desse refém, localizado em Luepa, município de Gran Sabana, no mesmo local em que Pemones indígena denunciou no início deste mês que os russos instalaram radares de última geração para supostamente extrair minerais.

La información sigue...los Pemones al mando...La están llamando Operación Aurora según informan x redes....

Se llevaron 122 fusiles en el 513 e intentaron tomar el 5102 Escamoto del cual fue secuestrado un sargento.

December 22, 2019

     "Apelamos ao Exército Libertador para iniciar a cessação da usurpação", foi a mensagem enviada pelos rebeldes militares através de mensagens de texto e WhatsApp para colegas e a população do Gran Sabana.

      Através de uma gravação à qual El Pitazo teve acesso, um homem informa um coronel que os militares levantaram 122 armas do forte de Luepa. Simultaneamente, eles tentaram entrar no forte de Roraima, em Santa Elena de Uairén, mas foram forçados a recuar depois de ativar o "Plano de Reação".

     O homem acrescenta que, na alcabala da polícia de San Francisco de Yuruaní, eles desarmaram os oficiais e levaram quatro armas. "Eles eram pessoas identificadas como Dgcim", acrescenta ele.