sábado, 08 de maio de 2021
Terça Livre TV
Pró-Monarquia
Política

Promessas não cumpridas, obras confusas e terminais em estado terminal: o legado sombrio do Rei Arthur

23 fevereiro 2021 - 11h54Por Silvio Rodrigues

Chegando ao fim de sua desastrosa e desnorteada gestão; o Prefeito de Manaus (Rei Arthur), aquele da espada caída, insistiu em iniciar obras confusas e sem nenhum tempo hábil para conclusão, haja vista que as obras duvidosas que o mesmo manteve a passos de jabuti com cãibra, causaram muitos transtornos e prejuízos para a cidade de Manaus. E agora bi-vice-prefeito?

COMPLEXO MANÔA

O complexo viário da cidade Nova, na área conhecida como Manôa, se arrasta há mais de dois anos com transito alterado e prejuízos aos que moram e circulam por aquela área. Não chegou nem a 60% da obra e a revolta da população é grande e justificada. Está agora sob intervenção do CREA.

COMPLEXO CONSTANTINO NERY

Outra obra estranha é o complexo viário da Constantino Nery com um orçamento que ultrapassa mais de R$ 64 milhões. Um verdadeiro labirinto, um lugar que não tem a devida sinalização, não tem espaço suficiente para carros, o risco de acidentes é iminente, causa confusão de quem vai do São Jorge para a Rua Pará, não tem altura para passagem de veículos pesados.

Quanto ao suposto terminal de apoio, que deveria suprir as necessidades dos usuários de transportes da zona oeste, é um pandemônio e mais um labirinto estranho que causa terrível confusão a quem tenta usar aquela parada de ônibus. Ainda tem o fato de que igualmente às paradas do Alfredo ou expresso, coloca o passageiro num total desconforto. Em tempo de sol, exposto ao sol todo o dia, em tempo de chuva, exposição à chuva a qualquer hora.

Além do transtorno causado à população durante o tempo de intervenção do transito, além de ser uma obra estranha, além de ser um lugar inóspito e confuso, ainda tem o imenso terreno entre as ruas Pará e São Jorge que ficou obsoleto após a obra, apesar dos valores milionários pagos à proprietária da Best Car (Beth Car), que lucrou alto à custa do povo de Manaus. Enfim, aquele complexo é realmente complexo.

TERMINAL 1

O terminal 1 é algo assustador, não diferente dos demais, mas a onda de violência é intensa, o desconforto é berrante, muito barulho, sujeira pra todo lado, paradas mal sinalizadas, motoristas apressados, ônibus velhos e até incendiando, banheiros abandonados, iluminação precária, um lugar que causa angustia a quem precisa usá-lo. Enquanto isso, a prefeitura vai inventando obras caríssimas quando faltam três meses para o fim do mandato do atual “prefeito” que agora aparece com uma obra que ele considera vital e urgente para a cidade, em total deboche da situação por que passa o povo de Manaus.

Trata-se da demolição e suposta reconstrução do Terminal de passageiros da Avenida Constantino Nery, o famoso T1.

A Prefeitura contratou pelo valor astronômico de 10 milhões e 325 mil Reais a empresa J Nasser Engenharia, (a mesma do complexo, complexo), para demolir e talvez, construir outro terminal. Algo parecido com a parada de ônibus da Ponta Negra. Aquela onde os passageiros sofrem com o desconforto, onde os motoristas de ônibus não querem parar e que custaram R$ 207 mil Reais aos cofres públicos e não serve nem para se abrigar do sol ou chuva. As obras estão paradas.

TERMINAL 2

Um galpão de algum depósito talvez seja menos quente que o terminal 2, localizado no bairro da Cachoeirinha. Um lugar que já era ruim e que não melhorou com a reforma feita e a custos estratosféricos. Não tem ventilação, sinalização precária, não tem banheiros, não tem segurança. Só tem fiscais do SINETRAM estúpidos e destratando os usuários, têm muitos furtos, empurrões, violência gratuita, desrespeito com idosos, inclusive uma idosa teve as pernas esmagadas por um ônibus dentro deste terminal. Não se respeitam crianças e deficientes, motoristas que não respeitam os passageiros e insatisfação da população com um serviço tão ruim.

TERMINAL 3

Um lugar totalmente caótico desde sua concepção. Uma das promessas nas duas campanhas do Rei foi com relação ao transporte coletivo e os terminais de integração. Ele prometeu humanizar e tornar os terminais, locais aprazíveis, respeitando o usuário do transporte.  O que se vê no T3 e nos demais é a continuação de uma história de sofrimento, de dor e constrangimento por que passam os moradores da Zona Norte e as pessoas que circulam naquela área e usam o tal terminal. O transito dentro do T3 é bem pior que dentro das garagens. Também é lugar de muita violência e falta de estrutura para atender aos usuários.

TERMINAL 4

Outro lugar de maus tratos é o terminal 4 no bairro Jorge Teixeira.

A situação de detrato a que são expostos os moradores da Zona leste é tão absurda, que como já citado; fiscais brutos, ônibus sem condições de trafego, motoristas impacientes, violência corriqueira, furtos, incêndios de ônibus, falta de espaço e nenhum conforto, levaram a população ao estado de revolta. Fecharam o T4, fecharam a Avenida Grande Circular, quebraram ônibus, tentaram incendiar e fizeram passeatas de protesto contra a situação. Infelizmente após toda a exposição de insatisfação e pedidos de melhoras, a prefeitura se manteve omissa e o caos continua.

TERMINAL 5

O Terminal 5 se avizinha ao cemitério de ônibus e parece que está a serviço exclusivo da empresa dos ZUMBIS AMARELOS. Aqueles que todos os dias cumprem sua missão de quebrar nas ruas, atrapalhar o transito, incendiar, viajar sempre lotados e colocando em risco as vidas dos passageiros; inclusive é necessário se ter muito cuidado para não varar pelo assoalho desses MORTOS-VIVOS ou cair de suas escadas.

Violência também é comum. Assaltos e furtos a qualquer hora, nenhum guarda municipal ou vigilante e nem PM. É um verdadeiro terminal de desintegração.

TERMINAL 6?

Sob coordenação da “primeira dama”, as obras do terminal 6, localizado próximo a barreira da ponte da Bolívia fora iniciadas no mês de julho e sempre a mesma empresa vencedora das licitações se faz novamente presente na construção de mais um a obra de ultima hora que está custando milhões aos cofres públicos sem nenhuma explicação logica para a realização em fim de mandato e sem tempo hábil. Pior ainda, com a conivência dos vereadores que se calam e a maioria aplaude em detrimento do povo as ações do prefeito.

TERMINAL DA MATRIZ E TERMINAL DE CARGAS E PASSAGEIROS

Não temos porto de cargas e passageiros, a não ser o que foi assumido pelos donos dos bordeis falidos no centro de Manaus, enquanto atrás do Mercado Adolpho Lisboa, não tem sequer uma escada para movimentação de pessoas e pessoal com carga.  A Escada que a muito está ali, vive quebrada, pessoas se arriscando e se acidentando. A famosa balsa amarela é um lugar inóspito, violento, desagradável e altamente arriscado. A estação de ônibus do largo da Matriz é algo desesperador, um verdadeiro pandemônio, um caos planejado e mantido.

David Almeida, Prefeito de Manaus, amarga hoje a herança maldita de Arthur. Aalém do vice, as obras.