quinta, 06 de maio de 2021
Terça Livre TV
BRASIL PARALELO
VENEZUELA

Preso e seu status e paradeiro são desconhecidos.

Estes são os nomes dos presos pelo regime de Nicolas Maduro

05 janeiro 2020 - 08h04Por Jose Luis A Monasterios
Isto é afirmado pelo capitão da comunidade indígena KUMARAKAPAY, (onde foram realizadas, e vários atos violentos do regime Nicolas Maduro). E ex-membro do parlamento da assembléia nacional, em comunicado via Facebook. já que ele também tem uma ordem de captura.
 
https://www.facebook.com/juvencio.gomez.73
Aos meus irmãos, amigos e aliados.
 
Que eles reconheçam, apoiem e andem juntos conosco em nossa causa.
 
Ele apresentou os nomes dos meninos que participaram da captura do Batalhão de Infantaria de Selva Mariano Montilla, Forte Manikuya, Luepa. O município de Gran Sabana, em 22 de dezembro de 2019, foi preso, seu status e paradeiro são desconhecidos.
 
São eles:
1. Oscar Pérez. Leomar Delgado
3. Alfredo Fernández
4. Frank Fernandez
5. Fiacencio Meya
6. Amilcan Pérez
7. Frederick Fernández
8. Lisandro González
9. Carlos García
10. Pantaleón Pérez.
11. Willy Martínez
12. Ronny Sánchez
13. Salvador Franco.
 
Todos de Kumarakapay.
 
Condenado, rejeitado, odiado por alguns, mas amado e amado por outros e seus pais e mães.
 
Para mim, jovens corajosos e determinados a lutar por seus sonhos, ideais, território, identidade ...
 
Peço que eles unam nossa energia espiritual e elevem nossa oração todo poderoso em oração a Deus para que ela seja liberada e retorne à sua terra natal, onde seus pais e mães os esperam com amor.
 
Muito obrigado bênçãos
 

Mensagem de esperança


A MINHAS PESSOAS INDÍGENAS E NÃO INDÍGENAS

No início deste ano de 2020, sinto o dever de escrever os motivos que motivam minha luta, por que falo e ajo de uma maneira que alguns reconhecem e apreciam e que outros rejeitam.

Sou descendente de um povo nativo que vive neste território desde tempos imemoriais.

Território que aqueles que têm poder econômico, militar e político cobiçam e querem invadir para explorar a riqueza que existe nele para enriquecer cada vez mais.

Não concordo e rejeito e luto contra eles.

Meu território é onde minha vida é recriada, é onde minha origem é, minha história, minhas raízes, a razão da minha existência.

Tenho o dever de defendê-lo contra a intenção de qualquer poder.

Eu chamo, irmão indígena, se você estiver lá, para elevar sua voz, para ser ouvido no planeta, no universo e que o Grande Deus todo poderoso ouviu, a quem eu acredito e tenho fé que está do nosso lado, lutará e vencerá por nós.

         Que Jeová Deus abençoe todos nós.

por: Capitão Juvencio Gomez,

KUMARAK APAY 2020