quinta, 06 de maio de 2021
Terça Livre TV
Conservadores
Internacional

Presidente Trump estende o decreto de emergência sobre a Venezuela por mais um ano

06 março 2020 - 07h41Por Jose Luis A Monasterios
 
     O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, enviou em 5 de março ao Congresso o pedido de extensão de uma declaração de emergência na Venezuela.
 
     "A situação na Venezuela continua a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos", disse o presidente Trump na comunicação escrita.
 
     O presidente dos EUA enviou a comunicação com base na Ordem Executiva 136.926, assinada em 8 de março de 2015.
 
     O presidente Trump expressou seu desejo de que essa ordem continue até que a liberdade seja alcançada na Venezuela.
 
                      Texto de alerta sobre a continuação da emergência nacional em relação à Venezuela
 
     Em 8 de março de 2015, o Presidente emitiu a Ordem Executiva 13692, declarando uma emergência nacional referente à situação na Venezuela com base na erosão das garantias de direitos humanos do Governo da Venezuela; perseguição de oponentes políticos; restrição das liberdades de imprensa; uso de violência e violações e abusos dos direitos humanos em resposta a protestos antigovernamentais; e prisões e detenções arbitrárias de manifestantes antigovernamentais, bem como a presença exacerbada de corrupção governamental significativa.
 
     Em 24 de agosto de 2017, emiti a Ordem Executiva 13808 para tomar medidas adicionais, com relação à emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692, para abordar graves violações dos direitos humanos e liberdades fundamentais; o aprofundamento da crise humanitária na Venezuela; o estabelecimento de uma Assembléia Constituinte ilegítima, que usurpou o poder da Assembléia Nacional democraticamente eleita e de outros ramos do Governo da Venezuela; corrupção pública desenfreada; e a contínua repressão, perseguição e violência contra a oposição política.
 
     Em 19 de março de 2018, emiti a Ordem Executiva 13827 para tomar medidas adicionais, com relação à emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692, para abordar as ações tomadas pelo regime Maduro para tentar evitar as sanções dos Estados Unidos. emitindo uma moeda digital em um processo que a Assembléia Nacional eleita democraticamente pela Venezuela denunciou como ilegal.
 
     Em 21 de maio de 2018, emiti a Ordem Executiva 13835 para tomar medidas adicionais, com relação à emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692, para abordar as ações do regime Maduro, incluindo má administração econômica endêmica e corrupção pública para às custas do povo venezuelano e sua prosperidade e repressão à oposição política; tente minar a ordem democrática realizando eleições antecipadas que não eram livres nem justas; e o aprofundamento da crise humanitária e de saúde pública na Venezuela.
 
     Em 1º de novembro de 2018, emiti a Ordem Executiva 13850 para tomar medidas adicionais, com relação à emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692, para abordar as ações do regime Maduro e as pessoas associadas para saquear a riqueza da Venezuela por seus bens. próprios fins corruptos; degradar a infra-estrutura e o ambiente natural da Venezuela por meio de uma má gestão econômica e práticas industriais e de mineração confiscatórias; e catalisar uma crise de migração regional, negligenciando as necessidades básicas do povo venezuelano.
 
     Em 25 de janeiro de 2019, emiti a Ordem Executiva 13857 para tomar medidas adicionais, em relação à emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692, para abordar as ações de pessoas afiliadas ao regime ilegítimo de Maduro, incluindo violações de direitos humanos e abusos em resposta à luta contra os protestos de -Mururo; prisão e detenção arbitrárias de manifestantes anti-Maduro; restrição da liberdade de imprensa; assédio de oponentes políticos; e tentativas contínuas de minar o presidente interino da Venezuela e minar a Assembléia Nacional, o único ramo legítimo do governo devidamente eleito pelo povo venezuelano, e impedir que o presidente interino e a Assembléia Nacional exerçam autoridade legítima na Venezuela.
 
     Em 5 de agosto de 2019, emiti a Ordem Executiva 13884, que impôs um bloqueio econômico total ao Governo da Venezuela, em relação à emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692, por seus contínuos abusos aos direitos humanos, incluindo prisão e detenção. detenção arbitrária ou ilegal. cidadãos venezuelanos, interferência na liberdade de expressão, mesmo para membros da mídia, e tentativas contínuas de minar o exercício da autoridade legítima do presidente interino da Venezuela e da Assembléia Nacional da Venezuela na Venezuela.
 
      As circunstâncias descritas na Ordem Executiva 13692 e as ordens executivas subsequentes emitidas com relação à Venezuela não melhoraram, e essas circunstâncias na Venezuela continuam a representar uma ameaça incomum e extraordinária à segurança nacional e à política externa dos Estados Unidos. Portanto, de acordo com a seção 202 (d) da Lei Nacional de Emergência (50 U.S.C. 1622 (d)), continuo por 1 ano a emergência nacional declarada na Ordem Executiva 13692.
 
Este aviso será publicado no Federal Register e transmitido ao Congresso.
 
DONALD J. TRUMP
 
A CASA BRANCA.
 
5 de março de 2020.