quinta, 06 de maio de 2021
Terça Livre TV
Conservadores
América Latina

Guaidó chega a Londres para continuar turnê internacional

21 janeiro 2020 - 14h51Por Jose Luis A Monasterios

        Juan Guaidó faz uma parada na Inglaterra e depois parte para a Suíça no dia seguinte para participar do Fórum de Davos e ter uma possível primeira reunião com o presidente dos EUA, Donald Trump, principal aliado.

     Caracas - O Centro Nacional de Comunicação do Governo interino da Venezuela informou que Juan Guaidó chegou sem problemas a Londres, Inglaterra, para continuar sua turnê internacional contra Maduro pelo segundo ano consecutivo.

     Poucos minutos depois de chegar à Inglaterra, Guaido se reuniu com o ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Dominic Raab.


Presidente (E) @jguaido sostiene encuentro con el ministro de Relaciones Exteriores de Reino Unido, Dominic Raab.

Le acompaña la vice-comisionada de Relaciones Exteriores de Venezuela, @isadorazubi, la embajadora @vanessaneumann y el embajador @carlosvecchio pic.twitter.com/JmNBG29hNj

— Centro de Comunicación Nacional (@Presidencia_VE) 21 de enero de 2020 ">http://

 

     O presidente encarregado da Venezuela planeja se reunir com membros do parlamento inglês, funcionários do governo e, finalmente, com a diáspora venezuelana.


ATENCIÓN | Presidente (E) de Venezuela @jguaido aterriza en Londres, Inglaterra en el marco de la #AgendaInternacional2020 donde sostendrá reuniones en el Parlamento, Gobierno y encuentro con la diáspora venezolana.

— Centro de Comunicación Nacional (@Presidencia_VE) 21 de enero de 2020 ">http://

 

     Guaidó chegou ao país britânico depois de estar na Colômbia, onde se encontrou com o Secretário de Estado dos EUA. UU., Mike Pompeo, após a Conferência Ministerial Hemisférica para a Luta contra o Terrorismo, realizada em Bogotá.

     Quando sua visita à Inglaterra terminar, a mais alta autoridade legítima do Parlamento viajará para a Suíça para participar do Fórum de Davos, onde ele poderá ter uma primeira reunião entre Juan Guaidó e o presidente dos EUA, Donald Trump.