quinta, 06 de maio de 2021
Terça Livre TV
Conservadores
VENEZUELA

FundaRedes: durante 2019, ocorreram 2.438 eventos violentos nos estados fronteiriços da Venezuela

20 fevereiro 2020 - 22h14Por Jose Luis A Monasterios
      A ONG FundaRedes apresenta na quinta-feira um relatório sobre a violência em seis estados fronteiriços da Venezuela. Durante uma conferência de imprensa, destacaram que em 2019 houve 1.850 mortes por homicídio, 104 desaparecimentos e seqüestros e 484 confrontos armados nos estados do Amazonas, Apure, Bolívar, Falcón, Táchira e Zulia.
 
     A organização rastreia e documenta os dados sobre o aumento da violência nas áreas de fronteira com a Colômbia e o Brasil e nas áreas costeiras adjacentes às ilhas do Caribe.
 
     «Observa-se que o estado Bolívar é a entidade que mancha mais a área da fronteira venezuelana. A análise mostra uma tendência ascendente flutuante ao longo dos meses ”, afirma o relatório Violence Curve.
 
      Javier Tarazona, presidente da FundaRedes, expressa que a disputa pelo controle territorial torna os números cada vez mais vermelhos. "A Venezuela não é mais uma ponte do crime, é um centro de operações do crime", afirmou.
 
     Tarazona destaca a influência de grupos irregulares nas comunidades fronteiriças, onde são defendidos pelos habitantes. Nessas áreas, os menores ingressam voluntariamente nas fileiras paramilitares, o que de acordo com o ativista do DD. HH, eles operam a partir de Miraflores.

Gráficos do relatório Curva de Violência
Homicídios na fronteira na Venezuela
Foram cometidos crimes de toda a natureza, desde homicídios com desmembramentos e decapitações, como os registrados em Táchira, Zulia, Bolívar e Falcón, até a incineração de cadáveres, infanticídios, feminicídios e massacres em áreas urbanas e comunidades indígenas.
 

 

Confronto na fronteira com a Venezuela
As Forças de Ações Especiais (Faes), o Corpo de Investigações Criminais e Criminais Científicas (Cicpc), a Guarda Nacional (GN) e algumas polícias estaduais foram os órgãos mais apontados e negados pelos parentes dos mortos em supostos confrontos.
 

  desaparecimentos e sequestros

 Em Táchira e Zulia, é onde mais casos de sequestros e desaparecimentos são conhecidos em 2019. Outro tipo de desaparecimento ocorreu no estado de Falcón; 38 pessoas foram desaparecidas após embarcar em navios para emigrar do país. Nesses casos, houve conversas sobre redes de tráfico de pessoas que sequestram migrantes.


 vítimas de violência nas fronteiras venezuelanas

Resumo do relatório de origem: Curva de violência.