quinta, 06 de maio de 2021
Terça Livre TV
Conservadores
Internacional

Funcionários do New York Times admitem que já trabalharam para o Partido Comunista da China

15 abril 2021 - 10h06Por Brehnno Galgane - Canal Terça Livre

Diversos funcionários que trabalham atualmente no jornal New York Times admitiram que já trabalharam para o Partido Comunista da China (PCCh), através do jornal estatal China Daily. A informação foi divulgada pela mídia National Pulse na última quinta-feira (8).

Dentre esses funcionários, encontram-se Jonah Kessel, diretor de Cinematografia do Times; Diarmuid McDermott, atual editor e designer; e o repórter Alex Marshall.

Em postagens do Twitter (atualmente excluídas), Kessel, que assumiu o papel de Diretor de Criação do China Daily de julho de 2009 a novembro de 2010, chegou a escrever que “às vezes, trabalhar para o PCCh tem seus benefícios”. Ele também mencionou que estava “empolgado” por iniciar o trabalho, que incluía “redesenhar” o braço de propaganda do PCCh.

Jonah Kessel também revelou, em diversas publicações, que estava “trabalhando para” e “sendo pago” pelo Partido Comunista da China.

“Você sabe que trabalha para a RPC [República Popular da China] quando a primeira palavra que vem à sua mente, quando é solicitado a descrever seu local de trabalho, é #china ‘harmoniosa’”, escreveu Kessel.

De acordo com o perfil pessoal de McDermott no LinkedIn, ele trabalhou como editor e designer para o China Daily, em Hong Kong, por oito anos – de novembro de 2012 a novembro de 2020. Ele assumiu a mesma função no NY Times no ano passado e ainda mora em Hong Kong.

Já Marshall foi contratado pelo China Daily como editor entre 2003 e 2004. Marshall, que cobre sobre cultura, se descreveu como um “apologista da China” e elogiou os discursos de Xi Jinping no Twitter, além de dizer como é “bom ver os ideais comunistas invocados” pelo governo.

Registros do Departamento de Justiça dos EUA no ano passado mostraram que o China Daily pagou quase 19 milhões de dólares a empresas de mídia dos EUA, para despesas com publicidade e impressão nos últimos quatro anos.

Atualmente, o jornal New York Times é uma das várias organizações de notícias ocidentais que participam de uma “escola de jornalismo marxista” em colaboração com o Partido Comunista da China.