sábado, 08 de maio de 2021
Terça Livre TV
BRASIL PARALELO
ACUSADO JÁ POSSUI ANTECEDENTES CRIMINAIS

DJ que hackeou membros da Lava Jato tem liberdade concedida

22 dezembro 2019 - 10h01Por Fabrício Cavalcante

Gustavo Elias Santos, o DJ Guto, acusado de hackear membros da Força Tarefa da Lava Jato, teve seu pedido de liberdade concedido pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10a Vara Federal de Brasília. 

Divulgado esta semana, o relatório final da Operação Spoofing, da Polícia Federal, apontou diretamente o envolvimento de Gustavo na invasão dos celulares do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, do Procurador da República, Deltan Dallagnol, e de outros integrantes da esfera política e do poder público. Gustavo foi indiciado por formação de quadrilha, interceptação telemática e invasão de aparelho eletrônico.

A PF localizou aproximandante R$ 90 mil reais em espécie, na casa de Gustavo DJ. Inicialmente, ele alegou que o valor era oriundo de transações online de criptomoedas.

De acordo com a Defensoria Pública da União, que representa outro acusado - Danilo Marques, que foi preso ainda na primeira fase da operação -, outro inquérito investiga o envolvimento do DJ Guto e de Walter Delgatti Neto, vulgo Vermelho, em crimes como estelionato, obstrução da justiça, lavagem de dinheiro e envolvimento com organizações criminosas. 

DJ Guto já possui antecedentes criminais e já tinha sido anteriormente condenado, por roubo de veículos, uso de documentos falsos e por porte de réplica de arma de fogo.