quinta, 06 de maio de 2021
Terça Livre TV
BRASIL PARALELO
PRIMEIRAS INVESTIGAÇÕES

Assassinato de prefeito pode ter sido encomendado

Ação rápida e certeira apontam para um atirador experiente

28 dezembro 2019 - 11h48Por Fabrício Cavalcante

São Paulo/SP- A Polícia Civil de São Paulo informou que há fortes indícios do assassinato do prefeito de Ribeiro Bonito, Francisco José Campaner, ter sido um crime encomendado. O político foi morto a tiros na tarde de quinta-feira (26), na zona rural do município.

As primeiras pistas colhidas no local do crime apontam para um atirador experiente, pois o criminoso teve o cuidado de recolher as cápsulas disparadas, para dificultar sua identificação. A precisão dos tiros também sugere que seja um atirador profissional.

Chiquinho Campaner, como o prefeito era conhecido pelo povo, Edmo Marquette (seu chefe de gabinete) e seu amigo Ary Santa Rosa retornavam de um sítio, num carro oficial da prefeitura, quando o assassino apareceu e começou a disparar. O prefeito foi atingido quatro vezes e morreu na hora; os outros dois foram baleados, mas sobreviveram.

Um lavrador que passava pelo local ouviu os gritos de socorro e chamou a polícia. Marquette, atingido no peito, e Rosa, ferido na mão, foram levados para a Santa Casa de São Carlos, na mesma região.

Conforme o delegado de Ribeirão Bonito Reinaldo Machado, os dois sobreviventes disseram que um homem encapuzado saiu do mato e abordou o carro, que seguia em baixa velocidade, e começou a atirar.

Machado afirmou que a polícia está em busca de pistas e várias linhas de investigação são consideradas. Ainda segundo as investigações, o prefeito não havia registrado nenhuma ameaçada recebida.

Na cidade de 12,8 mil habitantes, Chiquinho tinha hábitos conhecidos e costumava dirigir o próprio carro oficial.

Antes de ser eleito prefeito, em 2016, ele havia sido vereador por três mandatos. Em setembro, a Justiça arquivou uma ação civil pública em que o prefeito era acusado de usar dinheiro do erário para propaganda pessoal. Um pedido de cassação contra ele foi rejeitado pela Câmara Municipal.

O governador de São Paulo em exercício, Rodrigo Garcia (DEM), lamentou a morte e pediu empenho nas investigações. "Todo empenho da polícia nas investigações para apurar as circunstâncias de sua morte e das demais vítimas baleadas e encontrar os autores deste violento crime", afirmou.

O PSDB divulgou nota lamentando a morte do prefeito e manifestando repúdio ao crime.

O prefeito em exercício de Ribeirão Bonito, Luiz Arnaldo Lucato, publicou decreto de luto oficial por três dias. O expediente na prefeitura, onde o velório ocorreu, foi suspenso ontem.